BLOG

  • Tássia Fritoli

Trincas e rachaduras na parede: devo me preocupar?

Um problema muito comum nas construções de alvenaria é o aparecimento de fissuras, trincas e rachaduras nas paredes. As três são manifestações patológicas, mas você sabe a diferença entre elas e a hora de começar a se preocupar e agir? Algumas podem ser superficiais com implicações apenas estéticas, mas outras podem indicar problemas estruturais e sérios riscos aos moradores ou frequentadores do local. Em primeiro lugar, vamos às diferenças:

Fissuras: Geralmente superficiais, atingindo pintura e massa- entre 0,2 a 0,4mm;

Trincas: Mais profundas que as anteriores, afetam alvenaria e podem chegar à estrutura - entre 0,5 a 1,4mm;

Rachaduras: Normalmente proveniente de trincas não tratadas. Podem afetar a estrutura e necessitam de atenção redobrada – entre 1,5 e 5mm.

As causas podem ser diversas, as mais comuns são:

  • Pintura – falta de preparação ou preparação incorreta da parede para a pintura;

  • Reboco – Reboco mal feito, ou não respeitar o tempo de cura;

  • Materiais diferentes ou de qualidade inferior – cada material tem um coeficiente de dilatação próprio, isto é, expandem ou contraem de acordo com a temperatura;

  • Infiltração – Impermeabilização mal feita ou vazamentos em canos;

  • Movimentação do terreno – instabilidade, proximidade a rios, lagos, rodovia ou construções próximas;

  • Falta de vergas e contravergas em portas e janelas – essas estruturas suportam e distribuem a tensão que seria direcionada para as áreas livres. Quando não estão presentes, podem causar trincas e rachaduras.

  • Sobrecarga não calculada ou fundação mal feita - A construção de uma estrutura mais pesada ou mesmo um outro pavimento não planejado pode ser a causa dessas patologias.

Além das manifestações típicas, portas e janelas emperradas e barulhos como estalos, podem estar presentes. É necessário prestar atenção ao aparecimento e evolução desses sintomas. Se as trincas e rachaduras forem em elementos estruturais, como vigas, pilares e lajes, elas podem representar um risco elevado. A direção das aberturas também podem dar algumas dicas, se elas forem na horizontal costumam ser menos graves que quando se apresentam na diagonal. A recomendação, em qualquer caso, é ficar atento aos sinais e seus avanços, e sempre procurar um profissional habilitado, que pode avaliar com precisão as causas e riscos e propor a solução mais segura e adequada para o problema.

Categorias

CONHEÇA NOSSO TRABALHO

Posts recentes

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram
  • enviar_edited
  • botao-de-chamada-telefonica_edited
  • placeholder_edited

(41) 99711-0474

Deputado Heitor Alencar Furtado, 5000, Bloco A, Primeiro Andar, Ecoville  |  Curitiba  |  CEP: 81280-340